segunda-feira, 14 de março de 2011

A arte de fazer entrevistas em alemão

Não, você não irá encontrar uma fórmula mágica. Não, eu não estou me achando a bala que matou JFK. Não, eu não sou perfeita. Não, eu não sei de tudo. Mas, sim, estou tentando.

Fiz duas entrevistas nos últimos dias. A primeira do ano (que não é a primeira que faço) foi chata, eu errei alemão pra caramba, gaguejei, fiquei com raiva de mim, mas as meninas que me entrevistaram me ajudaram, disseram que não tinha problema se eu errasse. Enfim, me senti à vontade num bate-papo e no final valeu.

A segunda foi mais profissional, até porque o ambiente era outro. Fui vestida de executiva. Uma coisa que vocês não veem e nunca verão, a não ser que vocês me chamem para uma entrevista ou seja contratada para essa empresa. ;) Como já tinha destravado na primeira, apesar de ter começado nervosa, essa fluiu melhor. Consegui me expressar melhor, me esforcei para ser entendida, mesmo que tenha trocado preposições, colocado o verbo aonde não devia, ou ter esquecido que existe declinação nessa língua ma-ra-vi-lho-sa que é o alemão (ironia mode on/off).

A impressão é a mesma de sempre. O povo olha meu currículo e fica se perguntando porque, cargas d'água, eu estou procurando um estágio. Aí eu tenho que explicar que eu sou uma pessoa sensata e sei reconhecer que meu alemão não é lindo a ponto de conquistar uma vaga de emprego. Mas, que isso é uma questão de tempo e quando tiver uma chance de praticar alemão todo dia num ambiente empresarial, vou ficar fera rapidinho. Sim, esse discurso já está decorado.

Independente dos resultados, devo dizer que saí das duas entrevistas muito melhor do que quando entrei. No dia anterior ou horas antes, fico sempre nervosa e marido fica na expectativa de poder me dar uns tapas na cara (oi?) por histeria. Graças a Deus, não chega a esse ponto. Rá! Porém, quando a entrevista começa e o entrevistador(a) entende minhas necessidades, elogia o alemão só pra me fazer sentir à vontade e faz perguntas inteligentes, sem duvidar da minha experiência, minha auto-estima vai lá pra cima.

Eu saio da empresa feliz. Porque eu sei que eu posso. Porque eu tive a chance de tentar. E, se não for dessa vez, será na próxima. Ou na seguinte. Ou um pouquinho mais adiante.

Só não posso garantir que vou continuar assim depois de já ter feito 645487 entrevistas, né? Aí já é querer demais da pobre coitada aqui.

P.S. Já deu de post sobre emprego/trabalho/estágio, né? Né.

11 comentários:

  1. Eve, entendo tanto vc!! Tanto essa sua necessidade de conseguir um emprego bom que sirva pra colocar no curriculum. Dou a maior força e acho que todas as entrevistas são válidas porque elas vão te ensinando algo. Tenho certeza que logo, logo vc vai conseguir algo legal. Eu estou que nem vc, mas na minha área emprego é bem mais difícil (mas não é impossível). No momento estou investindo na educação, mas vai chegar a hora do emprego, ah se vai!!!
    Beijos e boa sorte!

    ResponderExcluir
  2. Eu acho legal esses posts, afinal você conta sua experiência o que pode vir a ajudar outras pessoas. Muitas vezes escrevo posts que sei que nem todo mundo tá afim de ler, mas sei que uma ou outra pessoa pode vir a encontrar nele algum tipo de ajuda. Seus posts sobre busca de emprego aí e aprendizado da língua é assim.

    Eu nunca tive uma entrevista de emprego na minha vida, estou só imaginando como vai ser a primeira, queria muito pular essa parte. Mas o pior mesmo é que tenho que me requalificar aqui e ainda vou entrar nessa batalha.

    Boa sorte pra você. Estou aqui torcendo pelo seu sucesso.

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Eve, me lembro de quando estava procurando emprego, e eu sempre colocava no meu CV que tinha holandes basico.

    Na epoca, numa dessas idas a orgaos do governo quando ainda morava na Belgica, conheci uma mocinha muito simpatica, e ela ficou responsavel por analisar meu CV e me ajudar a fazer as devidas adequacoes. A primeira observacao dela foi: sempre coloque no seu CV que se holandes e pelo menos intermediario, porque se vc colocar basico, vc nunca sera chamada para uma entrevista. Na hora vc se vira, estuda antes de ir pra entrevista, se prepara, e da o seu melhor.

    Entao, ela literalmente disse pra eu mentir no meu CV, rsrs, e assim o fiz, seguindo o conselho dela.
    Realmente fui chamada para algumas entrevistas, mas isso e algo que eu nao aconselho, porque o seu entrevistador percebe quando seu dominio da lingua esta abaixo daquele inicialmente indicado por vc no seu CV.

    Acabava que antes das entrevistas eu ficava extremamente nervosa, alem do nervosismo comum que antecede as entrevistas.

    Bom, essa historia toda pra dizer que vc faz muito bem em ser honesta e procurar um estagio, nessas horas a honestidade e a forca de vontade do entrevistado com certeza tambem pesam na decisao final!

    Beijos e Boa Sorte!!!

    ResponderExcluir
  4. eu só digo uma coisa: o que é seu ta guardado.

    vai firme q tu chega la.

    ResponderExcluir
  5. Eve...vc é fera, pq esse tal de alemão, Deus me livre e guarde, filha...é difícil demais!!! beijos e pode esperar: vc vai conseguir logo!

    ResponderExcluir
  6. quando fui morar na Australia, apliquei para um emprego de telemarketing. A mulher olhou pra minha cara, pro meu CV e ficou intrigadissima. Eu era jornalista, tinha tido uma agencia de publicidade e havia trabalhado para multinacionais no brasil. telemarketing? Por que? E por que vc pensa que vais er uma boa telemarketeira?
    Eu respondi que se eu tinha aprendido a lavar loucas aos 28 anos, fazer telemarketing seria brincadeira de crianca. Ela me deu o emoprego e nao acreditou que eu nao sabia MESMO lavar loucas...

    ResponderExcluir
  7. lucian_lorran@hotmail.com15 de mar de 2011 00:07:00

    OI! Seu blog é muito legal, assim como a energia positiva que você me transmite (estranho mas verdadeiramente verdadeiro), eu adoro lê-lo, me faz muuuito bem. Procurei na web e não achei (não sei se procurei direito), mas talvez vocÊ possa mee responder: A séculos atrás o brasil foi destino para muitos emigrantes alemãe. Como os alemaes vêm isso hoje? Eles sabem disso, eles se importam com isso? Eles não dão a mínimia?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  8. Que bom que sua auto estima fika em alta isso já ajuda pra prox... eu nem me imagino fazendo uma entrevista e olha que o espanhol é bem + tranquilo, + por enquanto o máximo que faco é dá informacao na rua e já me sinto o máximo kikikik

    ResponderExcluir
  9. Tem que ver a vida por essa lado positivo mesmo. Se estão te chamando para entrevista é sinal que seu CV é mto bom e isso já é uma conquista e tanto!
    Espero que em pouco tempo vc coloque um post dizendo que conseguiu um trabalho!! =D
    Se Deus quiser, daquia uns meses quem começa a jornada de entrevista sou eu. Primeiro é dar um tapa no inglês! rs
    Bjs e boa sorte,
    Manddy
    http://tourdubaiguide.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Falaram ai em cima" o q eh seu ta guardado" e é isso mesmo Eve, logo o sol brilha p teu lado..
    Ja te parabenizo desde ja por falar alemao..pq eh dificil hein...
    Beijo querida ..boa sorte

    ResponderExcluir
  11. Obrigada, pessoas!

    Olá Lucian, só posso dizer pela minha experiência. Os alemães que eu conheço ou não sabem dessa migração ou se sabem, não acham uma coisa extraordinária. Até pq, o Brasil não foi o único país a receber imigrantes alemães. A maior migração de alemães no Brasil aconteceu no meados do séc. 19 e no início do séc. 20. em 1900 e bolinha, junto com italianos, japoneses... Nessa época, tinha muita pobreza na Alemanha e eles procuravam terras férteis para poderem plantar e sobreviver. Taí o Brasil no meio.
    Espero ter respondido.
    Bjs!

    ResponderExcluir

Após o término da ligação, continue na linha. A sua opinião é muito importante para nós! =P