quarta-feira, 14 de março de 2012

E o cachê, quem paga?

Pela estrada a fora, eu vou... opa, história errada.

Bom, estava eu, linda, loira e malhada (rá, piada interna!) no metrô quando encontro um lugar pra sentar. Milagre, se pensarmos que era hora de todo mundo sair de casa, né?

Aí percebo que estou sentada ao lado de um tipo, no mínimo, curioso.Ele tinha papel e lápis na mão. Fazia movimentos rápidos e balbuciava algo pra si.

Fui olhar, como quem não quer nada (sei...), o que ele estava fazendo e o que eu vejo?

Ele estava fazendo um portrait (cuspi "chiqueza" agora) do cara que estava sentado em frente a nós.

Só não sei como a história terminou. Ele desceu na estação seguinte com o desenho incompleto.

Arte no metrô, tá vendo?

12 comentários:

  1. Você vê como arte.
    Eu vejo como um doido.
    hahaha

    Besotes...

    PS.: Conseguiu mudar o meu link aqui? Eu não sei mais o que faço... :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gata, nao atualiza de jeito nenhum...

      Excluir
  2. eu ja ia fazer o cara me desenhar...e nao edscia enquanto nao tivesse pronto!

    ResponderExcluir
  3. MANOLA, ERA UM LOUQUINHO!!!! KORRÃOTODOS!!!!

    ResponderExcluir
  4. Quando cheguei aqui, um dia pequei o metrô e um senhor fez o meu desenho!!! Ele até me pediu para sorrir, eu sorri, mas não vi o resultado do desenho, já que estava incompleto! Quando contei ao meu marido ele ficou bravo, mas eu até não me importo, nunca mais vi a criatura!
    Mas outro dia um vizinho (de rua) meio esquisito (um velhinho tb) veio me oferecer um desenho que ele tinha feito de mim! O desenho era bem primário mesmo, mas desse eu fujo quando passo na rua!

    ResponderExcluir
  5. Eu queria ter talento nem que fosse pra fazer uns rabiscos, kkk Quem me dera algo mais elaborado.
    Outro dia eu estava no ônibus e um cara tava bem nervoso escrevendo, na mão tinha papel, caneta e um livro que acho era algo com a Bíblia, quando eu entrei e sentei do outro lado na outra fileira de cadeiras, ele escondeu o papel, depois comecou a escrever de novo, mas se eu me mechesse na cadeira ele ja colocava a mão pra que eu não visse o papel e olhava desconfiado, sinceramente me deu medo e foi um alívio quando o maluco saiu do busão, acho que era algo religioso e dos radicais tenho medo mesmo.

    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Ai gente, e o tiozinho ficou sem terminar...vai entender...aposto que ía começar com outro alguém hahahhaha

    ResponderExcluir
  7. Pelo menos ele nao cobrou pelo desenho incompleto ne? ahahhaah

    beijos

    ResponderExcluir
  8. Acho q ele conseguiu terminar... Ouvi dizer q um pintor (n sei se era Leonardo da Vinci) seguia as pessoas q queria pintar até decorar todos os detalhes do rosto... Talvez o cara fosse doido, mas tem um monte de doido inteligente, viu? hehe

    Beijos
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, nao pensei nessa possibilidade. :)

      Excluir
  9. Meu marido aproveita o tempo do deslocamento casa-emprego-casa para escrever. Ele carrega um caderninho onde faz os esboços dos textos e depois, em casa, organiza tudo no computador.

    Ele participa de uma espécie de grupo literário, onde amigos escrevem crônicas/poemas e se correspondem por e-mail. Sempre leio os textos e acho tão bonito os detalhes do cotidiano que ele consegue captar.

    Acho que deve ser isso que essas pessoas que desenham buscam, os detalhes..

    Um abraço Eve!

    ResponderExcluir

Após o término da ligação, continue na linha. A sua opinião é muito importante para nós! =P