sábado, 20 de agosto de 2011

A necessidade de se ter metas

Aí que eu fiquei pensando na necessidade que temos de ter metas. Da mais simples à mais complexa. "Aprender dez palavras novas por dia", "Concluir o nível A2, B1... do curso", "Conseguir um emprego" etc.

Quando eu alcancei a meta "estágio", adormeci. Eu queria me esforçar para o estágio virar emprego e só. Eu nem vou falar do estudo de alemão, porque isso é quase pra vida toda.

Só que chega um ponto em que você se pergunta se a vide é só "alcançar metas", se não está na hora de curtir as metas já conquistadas. Ou se não se está querendo demais.

Você relaxa, mas não se sente necessariamente confortável. Você acha que está ficando pra trás ou que está deixando de fazer coisas. E cai no erro da comparação. Erro maior ainda: se compara com um nativo!

E você começa a se sentir pequeno. Esquece que a história de vida daquele nativo, a sua socialização e cultura são completamente diferentes. Aí, ao invés de seguir em frente, sente-se frustrado. Por que eu não tive isso? Por que eu não fiz aquilo? Por que eu não sei isso? Nesse momento, você se lembra que não tem mais metas.

Veja bem, não é assim que tem que ser. As metas servem para te impulsionar, para te lembrar que, ao alcançá-las, você deu mais um passo à frente, que você está em movimento.

O que você precisa não é parar de ter metas, é transformá-las em algo bom pra você. É dar tempo entre um desafio e outro para poder curtir a vitória. É traçar objetivos alcançaveis. É lembrar das suas limitações e não se cobrar tanto. Dando tempo ao tempo.

É chegar no final de semana e se permitir descansar. Se permitir não ter que se preocupar com a língua nova (Oi, Jane!). Porque até o cérebro precisa de um tempo para processar novas informações. E, na segunda, continuar.

Ao traçar metas complexas, um mestrado, por exemplo, divida-as em etapas. Primeiro, candidatar-se, depois participar da seleção; passando, enfrentar um módulo de cada vez.

Quando eu desisti do meu, não foi porque não queria mais fazer, mas porque senti que aquele não era o momento certo, que estaria sobrecarregada. Deixei para o próximo ano.

Mesmo que eu insista em traçar metas pra mim, tentarei não me sobrecarregar e reservar tempo para curtir a "vitória".

E quanto a se comparar com nativos, lembrei que tem coisas que eu vivi (e vivo) e aprendi (ainda aprendo) que eles nunca viveram ou aprenderam. O que me torna mais flexível, criativa, compreensiva e com uma visão de mundo que ninguém me tira, só acrescenta. O resto são habilidades que, se ainda não as tenho, conquistarei.

Você também!

20 comentários:

  1. Eve, concordo totalmente com isso aqui:

    "O que você precisa não é parar de ter metas, é transformá-las em algo bom pra você. É dar tempo entre um desafio e outro para poder curtir a vitória. É traçar objetivos alcançaveis. É lembrar das suas limitações e não se cobrar tanto. Dando tempo ao tempo."

    Você disse tudo. É nesse esquema que sigo, mas bem mais devagar que você, mas sou assim mesmo sem pressa.

    Curta suas vitórias, são muitas.

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que bom que você realizou tudo isso...a pressa é uma inimiga, a comparação é perigosa porque pode frustar, a ambição quando cega nos faz perder a razão. Um passo de cada vez, curtindo cada momento. Tenho certeza de que você vai se sentir muito mais feliz, leve e cheia de ânimo. E quando ver, vai ver que já realizou muito mais do que metas, "se realizou"! Bjs e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Muito bem Eve! Desfrute dos louros que vc colheu :)! - Se Deus criou o mundo em 6 dias e descansou no 7o, é pq ele tinha que ter tempo para apreciar as conquistas :)!

    Conquista sem sabor de celebração é só mais um item no checklist.

    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. E eu tenho tentado fazer isso todos os dias. Com muita paciência, tenho me permitido dar um passo de cada vez e cada pequena conquista é comemorada como um grande progresso.

    Você é uma grande inspiração!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  5. Eve é sempre bom ter um pouco de flexibiliade, saber que no meio do caminho as ideias podem mudar e as metas também, porque as vezes persiguimos tanto uma meta que depois nao faz sentido. Eu me cobro muito, as vezes eu paro e penso na minha idade e quantas coisas eu poderia te feito e nao fiz, e o que eu fiz nessa epoca eu nao sei ahahahahha mas enfim, tem horas que a vida anda mais de pressa e fica facil alcancar as metas, tem epocas que mais de vagar...

    beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Eve! rsrs
    Sabe, essa coisa do mestrado eu encarei exatamente assim: so me concentrava em uma etapa de cada vez.

    ps. tres dias!
    ps2. ja ja tem um post que escreverei pensando em voce hehehe

    ResponderExcluir
  7. É isso um dia de cada vez, e as conquistas vao sendo + valorizadas mais e mais... tenho uma surpresa pra vc lá no blog e fico esperando um email seu vai lá dá uma olhada... bjs

    ResponderExcluir
  8. Tenho pensado muito sobre isso nos últimos tempos. Porque há muito tempo eu não me propunha algo inteiramente novo. Metas, sempre tive, porque é da minha visão de mundo mesmo, da minha atitude diante da vida. Mas, nos últimos cinco anos minhas metas estavam sempre dentro daquele horizonte de vida no qual havia me colocado (o tal 'curtir a vitória', pois havia acabado de voltar do doutorado e estava me organizando dentro da nova posição no emprego e da nova fase na vida).
    Agora estou tentando aprender coisas realmente novas e, a partir delas, desenvolver novos projetos de trabalho e de vida. E aí a palavra meta e a sensação do desafio voltaram com força total. Agora eu sou a novata, estou engatinhando em vários assuntos que tenho estudado, em práticas nas quais venho treinando... Eu andava bem relaxada, navegando no familiar, e agora estou de novo atenta e alerta atrás de um objetivo que tracei e que ainda dará muito trabalho. Adoro essa sensação.
    É bom também porque ajuda a colocar na real perspectiva as coisas pequenas do dia a dia, coisas que de outro modo, em outro momento, me estressariam.
    Ter objetivos de longo prazo é fundamental, sempre. Não gosto de me sentir como um barquinho arrastado pela correnteza...

    ResponderExcluir
  9. Olá Eve,
    Cheguei até você pela Jane e adorei o blog. Este primeiro texto fala justamente de algo que tenho pensado ultimamente, minhas metas, as comparações com os nativos e os acrescimos obtidos na vida.
    Vou voltar mais. Alias, te coloco na minha lista de blogs.

    Ciao!

    ResponderExcluir
  10. Olá, Estava pesquisando sobre a Alemanha e achei o seu Blog, li esse post e achei bem interessante, porém eu gostaria de passar uma Dica. Todos nós temos objetivos e precisamos de metas para alcançar o mesmo, eu sempre que faço meus objetivos e traço minhas metas automáticamente me presenteio para entender que foi uma conquista pelo fato de bater a meta, compro uma garrafa de vinho importada,viajo para outra cidade,compro algo que preciso e etc. Isso me tira da rotina x obrigação e me impulsiona ao meu objetivo maior. A cada parte da meta eu percebo o andamento devido aos meus presentes.
    Parabéns pela sua Análise.
    Marcus Rocha

    ResponderExcluir
  11. Eve, eu sempre me lembro: um dia de cada vez. Até escrevi em um post it que fica grudado no meu monitor.

    Você está se saindo ótima, pode relaxar, porque todo mundo que tenta, consegue seu lugar ao sol, mas ele vai chegar no momento certo.

    Mil beijosss

    ResponderExcluir
  12. Concordo com vc Eve, as metas são boas para impulsionar, para criar expectativas e vontade de cumpri-las. Acho que é muito bom, vocë ter despertado para isso, mesmo que vocë vá devagarzinho cumprindo as suas metas, o importante é näo desistir delas.

    Post inspirador de hoje!

    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Eve
    Ter metas é importante mas curtir as vitórias tb é!
    O importante é, ser feliz!
    Parabens pelos teus avanços, parabéns pelas tuas conquistas!

    ResponderExcluir
  14. Hola querida blogueira....
    Vim lhe pedir um favorzinho...... se você poder divulgue entre sua amigas blogueiras também esse link
    http://wilquidias.blogspot.com/2011/08/carolina-artesanias-211-mi-1-fiesta.html#links.

    Pois dia 31 de Agosto será o dia do blog. vamos fazer algo diferente, dizer como e por que começamos fazer um blog e o quanto ele mudou e acrescentou muitas coisas as nossas vidas, a ideia é bem bacana, por isso vim pessoalmente lhe pedir que se vc poder, por favor divulgue. Desde já obg. bjs

    OBS: MENINAS..Eu deixei esse mesmo texto em muitos blogs que eu sigo, por isso é um texto padrão o mesmo irá pra todas viu? nao deu pra fazer um pedido personalizado, meu dedo começou doer, entao fui pro copiar e colar, espero que entendam. bjs de novo.

    ResponderExcluir
  15. Oi Eve, primeiramente, parabéns pelas conquistas. Como diz Wilson Simonal, "ninguém sabe o duro que dei"... Só você pra dimensionar o quanto os passos são significativos, o quanto sua jornada tá valendo a pena. Boa sorte com tudo o que almejas!
    Abs
    Márcia

    ResponderExcluir
  16. Eu já disse que vcs são fofas e queridas? não disse? então, está dito.

    Obrigada! :)

    Bjs, meu povo querido!

    ResponderExcluir
  17. Ops, Marcus, foi mal! Vc é fofo. Pronto. rsrs

    Obrigada pela dica.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  18. Olá Eve! Ontem procurava informações sobre a fonética alemã, pois estou fazendo aulas de alemão, e achei o seu outro blog (Dicas de Alemão)... logo, cai aqui, nesse seu espaço! :D
    Adorei saber a sua história, adorei seus textos (li todos =x), e pode ter certeza que continuarei a visitá-lo, pois além do blog ser muito bacana, sou fascinada com a Alemanha e pretendo, quando tiver condições financeiras, fazer um intercâmbio por ai!
    Sobre esse post (apesar de nova, tenho 22 anos, já vivi mta coisa na vida) só tenho uma coisa a dizer: conhecer nossas limitações é fundamental para nos conhecermos e, assim, crescermos! Se vc viu que o que te limita a crescer profissionalmente ai na Alemanha é a falta de fluência no alemão, corra atrás e volte a fazer o curso, e assim suba as escadas um passo de cada vez! :D
    E não se esqueça jamais dos passos que foram dados, eles são tão importantes quanto aqueles que vc dará!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Olá Laila,
    obrigada por seu comentário.
    boa sorte no alemão. ;)
    bjs!

    ResponderExcluir

Após o término da ligação, continue na linha. A sua opinião é muito importante para nós! =P