terça-feira, 23 de abril de 2013

Falando de hômi

Amiga minha andou se estressando com a falta de iniciativa/capacidade de decisão dos hômi alemães. Eu disse que achava que era um fator cultural, porque alemão em geral não está acostumado a ter que dicidir ou correr riscos. Eles sabem que o trem vai passar no horário, que vão ter a vaga na universidade, que não vão passar fome se ficarem desempregados e blá!

Não sei se ela ficou muito convencida disso. Daí, fui tomar café com uma amiga alemã e perguntei a ela o que ela achava dos homens alemães, se eles eram indecisos mesmos, ou se só os exemplares que apareceram na vida dessa amiga é que eram.

A alemã, claro, concordou. Ela disse que tem muito amigo que não sabe lidar com decisões/dramas da vida real. Principalmente, os que já alcançaram os 30. Disse que as mulheres alemães conseguem lidar melhor com as mudanças que ocorrem e os homens não sabem nem como começar a resolver. Entram em pânico. Ela deu o exemplo de um amigo que estava com problemas no relacionamento, que não sabia mais para onde ele iria e que, por isso, sem mais nem menos, terminou o namoro. Simplesmente, porque ele não queria assumir que estava ficando sério demais. Muito mais fácil afastar o "problema" do que resolvê-lo, né?

E apresentei minha teoria. Ela também concordou. Então, negócio é colocar esses hômi num ponto de ônibus lotado no Brasil, ou num trânsito de verdade, para eles aprenderem a decidir. Não só aprenderem a decidir, como aprenderem a decidir rápido. Porque, opa, mérmão, dormiu no ponto, agora se vira aí e sai desse engarrafamento. hahahaha

Dramas da vida moderna. Deles. Da minha não.

Solução pra amiga: procurar outra nacionalidade.

P.S. Generalizamos, né?

20 comentários:

  1. A amiga que vai te bater :-)23 de abr de 2013 15:06:00

    Pro-cu-ran-do!
    Cu-ran-do!
    (+ primeira sílaba), que diabos de Mann molóides!

    ResponderExcluir
  2. Sim generalizaram !! Mas a culpa é deles de todo jeito kkkkk
    Sugestão: caribe, independente do lugar.
    Pq vou dizer viu, eita binhinhos atirados...
    bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tinham que ser latinos, né? hahahahaha

      Excluir
  3. Conheço gente aqui que ficou num relacionamento anos e anos pelo simples fato de ter preguiça de terminar, isso mesmo, deixou rolar até acabar. Outros moram na mesma casa por simples comodismo e nem se falam direito, acho que isso que é "relacionamento aberto", pq final de semana cada um vai pra um canto e está tudo certo. Eu nao sei se vc percebeu, mas até quando separam as mulheres continuam com o sobrenome do ex-marido, nem pra isso eles correm atrás pra tirar. E concordo com vc que deveriam passar uns tempos no Brasil, mas levando vida normal, nada de vidinha de turista nao, é pegando busão, enfrentando fila de banco, SUS, e etc.., iriam ficar espertos rapidinho.
    Ah, mais uma coisa, o marido aqui é holandes, por isso fico achando que posso falar, rsrsrs.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas coisas já vi e ouvi falar. De morar junto depois da separação, entao? Acho estranho. rsrss
      Bjs!

      Excluir
  4. Que horror! Assim nao da, gente.
    Hahaha...
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Muito engraçado o texto!!!
    Mas e os daqui? O q faremos com eles???
    O q fazer com o machismo reinante?
    Os daqui também ficam no "passinho", não querem grandes mudanças, a não ser quando o futuro já os espera "logo ali"!!!!
    Ótimo o seu blog Eve.
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, boa questao? Mas, nesse caso, nao sei o que é pior. hahaha

      Excluir
  6. Eu morro com o jeito que você escreve! KKKKKK Menina, venho todo dia aqui ver se tem postagem nova, você parece ser muito divertida. Bjs!!

    ResponderExcluir
  7. Eu tava querendo ir estudar na Alemanha, mas eu não tenho ideia de como é o mercado de trabalho por aí. Peço desculpa se eu estiver sendo chata, mas você sabe me informar como é o mercado pra estrangeiros por aí? Eu sou formada em Biologia, gostaria de fazer pós graduação aí, mas to super indecisa.
    Obrigada desde já.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, uma coisa é você vir estudar, outra coisa é vir trabalhar. Com o visto de estudante, você nao pode trabalhar. E, sinceramente, não sei como é o mercado na sua área. Se quer incentivo para o estudo, super dou. É sempre válida a experiencia em vários sentidos. Boa sorte!

      Excluir
  8. hahahaahahahahaha... genial! a solucao foi otima, mas capaz deles sentarem e perguntarem pelas maes... Nunca vi tanto homem bobo junto! Sério, TODOS tem alquele perfil de criado pela avo (e vamos falar que ate os brasileiros criados pelas avós, tao dando baile nesses alemaes)!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahaha
      adorei. e nem precisavam, já que na teoria, saem de casa cedo, né?

      Excluir
  9. Ola ola, acredito que tem homens como tambem mulheres assim na Alemanha, e tbm no mundo inteiro. A capacidade de se responsabilizar com próprios problemas é a falta de casais que vem vindo com o tempo. Falta nos dias de hoje o limite dado por cada um, para simplesmente viver uma vida mais intensa e feliz.

    ResponderExcluir
  10. As japonesas gostam de negão... as europeias gostam de brasileiros...

    Kisu!

    ResponderExcluir
  11. Olha acho que isso não seja só de Alemanha não. Tem muito brasileiro indeciso, sem atitude também. Conheci uma pessoa na Alemanha que jurava parecer estar interessado, cheguei até a perceber que olhava pelos "cantos", mas quando falei algo do que provável sentia, foi um desastre. Logo depois percebi que tinha era medo de mulher, não dá pra mim. kkkkkkkk
    O Brasileiro fica naquela incerteza, aí, mostra uma amiga, depois mostra outra amiga e depois mais outra amiga, e você de indecisa, passa a ser decidida a nem ligar mais, até que de repente numa conversa solta e diz que quando gosta não tem muita coragem de expressar, tenha dó. kkkkkkkk.
    Os homens parece que andam com medo de nós. E tudo o que queremos são homens com atitude.

    ResponderExcluir
  12. Gente! Não fazia ideia disso! kkk
    Fui escolhida pra ser tutora de um estudante alemão aqui na Universidade no Paraná. Vou começar a observá-lo mais atentamente pra ver se isso se aplica a ele também kkk.

    ResponderExcluir

Após o término da ligação, continue na linha. A sua opinião é muito importante para nós! =P