sábado, 25 de fevereiro de 2012

Da relatividade dos problemas

Ganhei coleguinha de quarto nova, né?

Essa é mulçumana. À princípio, lembro que ao chegar no quarto (fui eu que me mudei para o quarto dela), levantei alguns pontos de interrogação, uma vez que nunca tinha vivido tão próximo a um mulçumano, apesar de serem bem presentes na comunidade estrangeira alemã, inclusive em Berlin.

Convivemos há uma semana e algumas coisas já caíram por terra. Principalmente, porque penso em como ela está se sentindo. Aliás, eu sei como ela deve estar se sentindo. Sou estrangeira também, ora bolinhas.

Só que a situação dela é bem pior. A doença não é tão grave. Mentira, é grave. Mas, as circunstâncias, sim, são bem piores. E isso não tem nada a ver com a sua religião. Não sob essa ótica.

  • Ela é asilante refugiada (asilada? Em alemão é asilante. Viajei na língua agora).
  • Da Somália.
  • Mora num asilo (político) abrigo na Alemanha há um ano.
  • Toda a informação que eu consegui tirar dela foi com muita mímica e palavras soltas, já que ela não fala quase nada de alemão.
  • Tem três filhos de 8, 7 e 3 anos que deixou pra trás com o „Baba“ na Somália. Ela fala árabe. Anotem, na verdade, ela teve 7 filhos, esses são os únicos vivos.
  • Eu perguntei porque os filhos não vieram junto. Pergunta complicada pra ela responder, eu só entendi: "quando eu tiver um trabalho."
  • Os médicos não conseguem se comunicar com ela. Vem um tradutor aqui duas vezes por semana.
  • Vive completamente sozinha aqui. Sem família, sem amigos, sem ninguém do seu país no asilo em que mora.
  • 38 anos.
Perto da vida dela, a minha é uma paraíso. Prometo que dessa não falo mal. =P

Atualização: Asylant, em alemão, é aquela pessoa que pede asilo político, fugiu de um país em guerra etc etc. Não tem a ver com asilo de idosos. No dicionário português, aparece asilado como tradução, só que eu acho que soa errado. Seria, então, exilado?? Alguém de línguas, por favor, pode explicar. Fiquei confusa. hehehehe 
Obrigada pelas contribuições nos comentários, meu povo! ;)

29 comentários:

  1. Nisso ta o segredo da vida Eve, saber perceber que temos mais motivos pra agradecer do que pra reclamar.Parabéns!!
    Eu imagino como deve ser difícil pra ela, eu saudável mais gorda que leitão de Natal, as vezes acho ruim nao consegui me comunicar aqui, se bem que 10 meses depois de Noruega, eu ja tô no nivel 1, mesmo ai da coleguinha, mimicas e palavras soltas( nao menti, sei mais, mas é como se nao soubesse). A vida tem seus desafios, mas também tem muitas alegrias...
    Como diz um amigo meu, ´´nois sofre mais nois goza´´a viiiiiida tá? bjs BOM SABADO COM SEU LOVE DE VISITA HOJE.GOZEEEEEE MUITO A COMPANHIA DELE. rsss xerinho!!!

    ResponderExcluir
  2. é vero as vezes nós reclamamos d+, concordo com a Wi, perto de muitos nossa situacao é um luxo e vc Eve desejo que vá o mais rapido p sua casinha, muitas, muitas melhoras, bjs.

    ResponderExcluir
  3. Olha Eve, acho que tudo vem de alguma forma para nos mostrar algo...às vezes a gente pensa que a gente chegou no fim do mundo, mas daí, acontece algo que mostra que o fim do mundo é muito mais adiante...rs Ainda bem que somos capazes de entender os recados...já é meio caminho andado. Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  4. é verdade, às vezes a gente reclama tanto né, mas nem imagina a situação dessas pessoas, longe de todos, sem falar nada...
    espero que você melhore o mais rápido possível também!
    beijos e bom fds

    ResponderExcluir
  5. Eve, sabia que eu ainda não entendi o porquê de voc6e ainda está no hospital usando pijamas?

    Bom, a torcida para seu retorno linda e loira continua!

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    que bacana ter viviod isso, pois podemos olhar ao redor e ver que reclamos muitas vezes sem precisar né!
    E como vai indo a sua recuperação, tem uma previsão de saída?
    beijos com carinho!

    ResponderExcluir
  7. Oi Eve, a vida é assim, né? Ainda bem quando ainda temos a sensibilidade de perceber que existem coisas realmente ruins, e o que acontece na nossa vida nao é nada perto da de algumas pessoas. Por isso quando quero ficar resmungona, me lembro disso e me controlo.Quero muito tb que vc fica boa logo e volte pra sua casinha. Com relacao ao asilado e exilado, eu acho que tem uma diferenca sim, o asilado é aquele que encontra abrigo, um refugiado.
    O exilado é aquele que é expulso da sua pátria,banido. Acho que a diferenca entre os dois é que: um sai do país pq a situacao está insustentável, melhor ir embora mesmo. A outra, o exilado, mandam ele vazar mesmo, eu entendo assim. Mas o mais importante agora é vc ficar maravilhosa e ir logo pra casa. Bjo grande e que Deus te proteja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marta, obrigada pela explicaçao. Assim, devo considerar que o certo é asilado mesmo, já que, no caso dela, ela fugiu, nao foi expulsa.
      E obrigada pela torcida!

      Excluir
  8. Meninas, obrigada pela torcida. Assim que tiver novidades, venho contar!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Menina, pois é, cada história de vida de nos fazer pensar muito e agradecer pelo que temos.
    Olha, eu conheco o termo como asilado mesmo, que pede asilo.

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. O asilo é proteção e é concedido aquele que sofre perseguição PESSOAL em seu país de origem em razão de opinião ou crença. No refugiado, as origens são no grupo. Todas as pessoas daquela raça, crença... estão sendo perseguidas ou por causa em guerra, convulsão social, catástrofe natural. Sua amiga em nosso país seria refugiada e não asilada. O exílio é a expulsão do país de origem. O exilado está proibido de voltar a seu país ou pelo menos ameaçado caso volte. Sua amiga não volta por medo da guerra, mas poderia fazê-lo se quisesse. Então, não é exilada. Uma pessoa pode ao mesmo tempo ser asilada (está sendo protegida por um país que não é o seu) e exilada (proibida de voltar por seu país de origem).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uia! Amei! Obrigada!
      Dúvida: se ela mora num asilo, #comofaz?
      Tipo, a história dela é meio confusa. Eu não sei se ela entrou num navio clandestino na África e foi parar numa praia européia. Nào sei se ela entrou num avião e, quando chegou aqui, rasgou o passaporte... Porque acho que tem muitas varíaveis, como vc explicou, pra considerar alguém "asilado" ou "refugiado". Mas, claro, não tenho como advinhar, né? São só suposições, as informações que eu consegui tirar são essas do post.
      =P

      Excluir
  11. Quanto a sua nova colega de quarto, o que tenho a dizer é que admiro bastante a coragem que ela teve de largar tudo em busca de uma oportunidade de vida melhor. Espero que as condições dela melhorem logo.

    Quanto a você, que luta hein! Espero que você volte logo pra casa e que essa temporada no hospital te deixe mais forte, com mais vontade de vencer os desafios lá fora.

    Um beijo, não deixe de nos dar notícia.

    ResponderExcluir
  12. nao seria a moca uma REFUGIADA???

    ResponderExcluir
  13. PS - O refugiado nao e expulso do pais de origem, ele pede "asilo" a paises que os aceitam.

    ResponderExcluir
  14. Que triste a vida dessa mulher! Muitas vezes achamos que estamos em uma situacao ruim e ai vem a vida e mostra que existem situacoes bem mais dificeis!
    Continuo aqui na torcida para vc sair dai LOGO!!!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  15. aqui os comentarios aparecem sem problemas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pqp!
      e ninguem vai entender, lere lerê!

      Excluir
  16. Situacões triste assim também já ouvi muitas. E eu reclamando que vou dividir o quarto com outra criatura né?? Pensar quanto sou mimada, na frente dessa senhora... O que é viver longe dos filhos?? Num país onde não pode se comunicar?? Duro...

    ResponderExcluir
  17. Nossa, que história triste dessa mulher, imagina o que ela passava em seu país para ter coragem de deixar os 3 filhos para trás...
    E como está o seu tratamento Eve? Os médicos não contam nada de novo??
    Boas melhoras, estou torcendo para você sair daí logo!!
    Beijos...

    ResponderExcluir
  18. Nossa! E a gente às vezes se queixa de cada bobagenzinha, né?! História triste e de muita coragem!
    Conseguiram descobrir o que você tem, flor?
    Beijos e melhoras! :)

    ResponderExcluir
  19. Pois é Eve, eu convivo com essas pessoas diariamente no meu trabalho! Muitos dos cursistas são exilados políticos, da Somália, Afeganistão, Irà, Iraque e por aí vai. E sim, se a minha vida aqui é difícil (e comparando com a maioria dos meus amigos e comhecidos em partes è mesmo), por outro lado a deles é muito pior. Muitos fazem o curso de holandês não por prazer mas por obrigação: precisam passar no exame de cidadania para renovarem seus vistos de residência. Outros viveram 2 ou 3 anos em centros para exilados, dividindo quartos com várias pessoas e em condições precárias e o mais importante, de total indefinição quanto ao seu futuro! Gente que foi até soldado em guerra, outros que esperam um dia se reunir com a esposa e filhos...

    É como o título do seu post mesmo: os problemas sào relativos...tem sempre gente em situação muito pior. Eu decidi inclusive parar de comparar a minha vida com a de gente que está muito melhor de vida e vive há muito menos tempo aqu. Em vez disso, penso sempre que as coisas poderiam ser piores...basta olhar para os alunos da escola...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estava mesmo esperando seu comentário, pq eu sabia do seu contato com eles. :)
      É uma vida difícil...

      Excluir
  20. Poxa que situacao! A gente nao imagina mas tem muita gente numa stuacao parecida por aqui.

    ResponderExcluir
  21. Oi Eve! Encontrei seu blog por acaso, sou nova nessa coisa de blog, comecei a pouco tempo e como voce vivo tambem na Alemanha.
    Chorei de rir com suas histórias e seu jeito de escrever, parabéns!
    Eu fiz o curso de alemão com muitos asilados (a maioria da Russia e Sérvia)e realmente da muita pena além de um sentimento de culpa e egoísmo por reclamar da vida diante dessas pessoas.
    Mas também acho que passamos pelo que temos que passar e no momento certo.
    Boa recuperação! e se ficar langweilig, visite meu recem-nascido blog: http://casodeamorcomigo.blogspot.com/
    beijos, Julia

    ResponderExcluir
  22. Estava relendo e me lembrei de quando Caetano e Gil foram exilados. Eles e tanto outros foram exilados, ou seja, expulsos de sua pátria. Também aconteceu com Napoleão Bonaparte. No caso desta moça ela é refugiada e pode sim ser chamada de asilada, pois pediu asilo. Ops agora que eu vi que já tem explicação ali em cima. Bjs

    ResponderExcluir
  23. Nossa Eve... que triste.... como dizia TNT: "o mundo é maior que o teu quarto"... eu sempre lembro dessa musica quando me deparo com situações de pessoas que eu nem sequer imaginava...
    bjs

    ResponderExcluir
  24. Oi Eve querida!
    Que tristeza a vida dessa pobre mulher...espero que de tudo certo pra ela...
    A respeito dos asilados e exilados:
    Asilados sao aquelas pessoas que recebem protecao ou sao acolhidas no lugar que as aceitaram.Dois exemplos: os fugitivos de Cuba foram asilados nos EUA.
    O Brasil ofereceu asilo a iraniana condenada por adultério(que seria apedrejada at´e a morte).
    Exilados sao aquelas pessoas que foram explusas.Por exemplo:os exilados (que foram expulsos) pol´iticos da Turquia, foram asilados (receberam asilo) na Alemanha.
    Existe um livro (esp´irita) chamado "Exilados de Capela", o t´itulo ´e este pois conta a hist´oria das pessoas que foram expulsas de Capela e asiladas na terra.
    Nao sei se ficou claro, mas ´e isso, eu acho, hehe : )
    Desculpa a grafia incorreta, nao estou no meu pc e esse teclado alemao, me mataaaaaaaaaaa, rsrs...
    Beijos, beijos!!!

    ResponderExcluir

Após o término da ligação, continue na linha. A sua opinião é muito importante para nós! =P